20 de junho de 2010

Ilê Pérola Negra (canto do negro) - Cultura afro-brasileira fortalecendo a auto estima da etnia negra


Composição:
Miltão/Rene Veneno/Guiguio
Interpretação:
Daniela Mercury

Ilê Pérola Negra (o canto do negro)

O canto do negro
Veio lá do alto
É belo como a íris dos olhos de Deus, de Deus

E no repique, no batuque,
No choque do aço
Eu quero penetrar
No laço afro que é meu, e seu

E vem cantar meu povo
Vem cantar você
Bate os pés no chão moçada
E diz que é do Ilê Ayê

Lá vem a negrada que faz
O astral na avenida
Mas que coisa tão linda
Quando ela passa me faz chorar

Tú és o mais belo dos belos
Traz paz e riqueza
Tens o brilho tão forte
Por isso que te chamam de Pérola Negra

Ê, pérola negra, pérola negra
Ilê Ayê
Minha pêrola negra

Com sutileza cantando e encantando a nação
Batendo bem forte em cada coração
Fazendo subir minha adrenalina

Como dizia Buziga

"É de mim em me pé Nagó de Ilê
É de mim
Em me pé Nagó de Ilê"

Ê, pérola negra, pérola negra
Ilê Ayê, minha pérola negra

-------------------------------------------------------------------------------------------------


Interpretação numa Perspectiva Psicológica: Ilê Pérola Negra (o canto do negro) Fortalecedora da Auto Estima da Etnia Negra

O Ilê Ayê é um grupo afro fundado em 1974 no Bairro da Liberdade em Salvador por Antônio Carlos dos Santos (Vovô) e Apolônio de Jesus. Visando manter as tradições culturais africanas na Bahia tem contribuido no fortalecimento, ano após ano da identidade e a auto estima do povo afro-baiano-brasileiro, através das músicas temáticas, da dança e de todas expressões culturais tangenciais que nascem do encontro entre ethos atráves dos diversos projetos sócio-culturais-educativos oferecidos a comunidade carente e cheia de brilho como uma Pérola Negra.

O termo Ilê é de origem africana. Fazendo a tradução literal do yourubá para o português significa Casa. Ayê, de mesma origem, tem sentidos variados a depender do contexto. Logo pode significar céu, terra, ou ainda, vida.
Assim, o grupo Ilê Ayê pode ser compreendido como uma casa (Ilê) da terra (Ayê) que promove (vida) através das tradições culturais num Ayê (céu) etendido com um espaço que réune uma diversidade de "estrelas" todas com seu brilho, com sua cor, com seu encanto.

Pérola é um material orgânico, bastante resistente, de cor que vai do translúcido a opaco, que é produzido no interior de ostras em reação a corpos estranhos como, por exemplo a areia. Por ser muito utilizado na confecção de jóias é de grande valor comercial. A Pérola Negra é ainda mais valiosa devido a sua raridade na natureza.

De forma geral, a música reverencia o Ilê Ayê por favorecer a auto estima da etnia negra.

"O canto do negro Veio lá do alto É belo como a íris dos olhos de Deus, de Deus"

Este trecho diz que o "canto negro" a expressão musical da etnia negra vem do Alto, ou seja, é de inspiração Divina e está sob o olhar dele. Verificado na expressão "(...) é belo como a íris dos olhos de Deus". Considerando que os olhos refletem a luz do que é captado o Canto do Negro só pode ser belo como os olhos de Deus.


"E no repique, no batuque,
No choque do aço
Eu quero penetrar
No laço afro que é meu, e seu"

A expressão da alma está aqui representada no som dos instrumentos de percussão que envolvem e convida à identificação com a prórpria essência cultural.

"E vem cantar meu povo(...) Vem cantar você (...) Bate os pés no chão moçada e diz que é do Ilê Ayê"

Aqui o convite é reforçado dizendo que o povo é do Ilê Ayê, ou seja, é de casa, é da terra, é da vida. Fortalecendo o sentimento de pertencimento e ao mesmo tempo de humanidade.

"Lá vem a negrada que faz o astral na avenida, mas que coisa tão linda quando ela passa me faz chorar"

Faz referência ao bloco afro Ilê Ayê passando na avenida, em desfile no Carnaval de Salvador. Simbolicamente falando - A beleza da periferia marginalizada tendo visibilidade.

"Tú és o mais belo dos belos traz paz e riqueza tens o brilho tão forte por isso que te chamam de Pérola Negra"

Valoriza o Ilê Ayê que representa a etnia negra marginalizada.
Fala do seu valor social que promove paz e riqueza, uma vez que fomenta a auto estima fazendo perceber a verdadeira beleza que nasce da paz interior, por isso que se é rico, quando se reconhece o próprio brilho independente dos padrões referenciais e efêmeros, que dita o que certo ou errado, féio ou bonito, bom ou mau.
A força provém deste reconhecimento, que é difícil de se constituir por isso tão valiosa é esta conquista, como uma Pérola Negra.
O Ilê Ayê vem trabalhando ano após ano neste sentido.

"Ê, pérola negra, pérola negra Ilê Ayê minha pêrola negra (...) Com sutileza cantando e encantando a nação batendo bem forte em cada coração fazendo subir minha adrenalina"

Entoa o canto de chamada à alma pelo música do coração. Valores subliminares são introjetados sutilmente pelo Ilê Ayê através da cultura.

"Como dizia Buziga: É de mim(...) em me pé Nagó de Ilê(...) É de mim(...) Em me pé Nagó de Ilê (...) Ê, pérola negra, pérola negra Ilê Ayê, minha pérola negra"

Buziga foi um grande compositor baiano que contribuiu com diversas músicas para o Ilê Ayê.
Nagô era um termo atribuído aos negros escravos que falavam e entendiam o yorubá. Termo étnico criado pelo tráfico negreiro.

Logo, Buziga expressava Nagô de Ilê, ou seja falava e compreendia a linguagem de Ilê, da casa, do povo.
Fortalecendo a auto estima da etnia negra o Ilê Ayê, através da música fala à alma, à casa interior de cada um, liguagem do coração, a expressão da essência interior da etnia negra, o canto do negro - Nagô de Ilê, por isso o Ilê Ayê é uma Pérola Negra.

Por Marcelo Bhárreti.




____________
REFERÊNCIAS:

www.cabocloarruda.hpg.com.br
www.danielamercury.art.br
www.google.com.br/imgres
www.youtube.com/watch?v=7DDBLZOnHoc
www.wikipedia.org

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigado!
      Vou voltar a publicar novamente novas postagens.

      Excluir
  2. Essa foi uma análise linda e simples, muito fácil de entender, muito obrigado por fazê-la! Se possível irei utiliza-la com meus alunos no mês da consciência negra.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por compartilhar essa linda interpretação. Ótima mensagem para trabalhar na semana da Consciência Negra.

    ResponderExcluir